Levantamento de Dados

TÉCNICAS DE LEVANTAMENTO DE DADOS

 

 

 

Fases do ciclo de vida do software

 

Em geral, os ciclos de vida de um software envolvem, dentre outras

as seguintes fases:

1-Planejamento;

2-Projeto;

3-Testes;

4-Entrega e Implantação;

5-Operação;

6-Manutenção;

1- Planejamento

-Fornece uma estrutura que possibilita ao técnico fazer estimativas iniciais de recursos, custos e prazos;

– O escopo do software é estabelecido;

– Esta atividade faz parte da gerência de projeto.

2- Projeto

 

 

-Envolve duas grandes etapas: projeto da arquitetura do software e projeto detalhado

-Utiliza a fase anterior como entrada;

 

 

 

3-Testes

 

-Testes de unidade e documentação dos resultados;

-Integração dos componentes e teste do software como um todo;

-Alguns modelos de processo prevêem a realização de testes já nas primeiras etapas

 

4-Entrega e Implantação

 

O software deve ser instalado em ambiente de produção. Envolve:

  • Treinamento de usuários;
  • Configuração do ambiente de produção;
  • Principal objetivo:
  • Testes de Aceitação (estabelecer que o software satisfaça os requisitos dos usuários).

 

5-Operação

 

Após o teste de aceitação, o software passa a ser utilizado de fato em ambiente de produção.

 

6-Manutenção

  • Adaptativas
  • Corretivas
  • Evolutivas

 

 

Preparação

Antes de se iniciar um projeto, é necessário obter informações a respeito do projeto com o cliente e com os futuros usuários do sistema.

  • Identificação das necessidades do usuário.
  • Verificação da implementabilidade destas necessidades.
  • Essas informações serão artefatos úteis para as próximas fases do projeto servindo de insumos para que os analistas e projetistas criem o que foi pedido.

 

São utilizadas duas técnicas:

  • Entrevistas
  • Questionário

 

Entrevista é a modalidade de levantamento de dados destinada a levantar realidades estruturadas com uma clientela. Os dados e informações são obtidos com perguntas, feitas diretamente aos usuários alocados nos postos de trabalho envolvidos na execução do processo em análise.

Características principais desta modalidade:

  • Destinada a uma clientela não volumosa;
  • É seqüencial: recomenda-se realizar uma entrevista com apenas uma pessoa por vez;
  • Destinada a uma clientela pouco dispersa geograficamente;
  • É a modalidade mais flexível pois permite questionamentos abertos sobre o que se deseja saber;
  • Baixo custo.

 

Tipos de Entrevista

  • Estruturada: é aquela em que o entrevistador segue um roteiro previamente estabelecido.
  • Não estruturada: o entrevistado tem liberdade para desenvolver cada situação em qualquer direção que considere adequada.
  • Painel: consiste na repetição de perguntas, de tempo em tempo, às mesmas pessoas, a fim de estudar a evolução das opiniões em períodos curtos.

 

Durante a entrevista:

  • Obtenha autorização para realização da entrevista;
  • Apresentar-se;
  • Transmitir a finalidade da entrevista;
  • Postura do entrevistador: credibilidade, isenção,discrição;não criar ressentimentos;
  • Deixar o entrevistado falar (redução da interferência);
  • Direcionar a discussão para os objetivos;
  • Evitar as perguntas de resposta sim/não;
  • Não ultrapassar o tempo;
  • Notar sinais de impaciência;
  • Deve-se respeitar o conhecimento do entrevistado;
  • Ser paciente enquanto estiver com o entrevistado;
  • Ser sensível às diferenças culturais e procurar ser cordial;
  • Dar prioridade a perguntas simples, evitando termos técnicos;
  • Entrevistar de forma que obtenha a confiança dos entrevistados;
  • Separar opiniões de fatos;
  • Entrevistar as pessoas certas;
  • Elogiar quando possível;
  • Verificar a informação obtida, até mesmo com superiores;
  • Fazer distinção entre necessidades e desejos;
  • Anotar todas as perguntas respostas e comentários feitos, principalmente em relação aos dados que permitirão levantar os custos e o volume de trabalho do processo em estudo. Isso pode lhe ser muito útil posteriormente;
  • Colocar-se em posição de aprendiz;
  • Não discutir com o entrevistado;
  • Organizar as respostas o mais breve possível;

Esteja atento para os diversos tipos de resistência:

– “Você está ameaçando o meu emprego”.

– “Você não conhece a empresa, como quer dizer como deve ser o novo sistema?”.

– “Você está tentando mudar o modo como as coisas são feitas aqui”.

  • O entrevistado não gosta de ser entrevistado:

É verdade! Você chega para o profissional, o faz parar o que ele está fazendo para você fazer um monte de perguntas detalhando cada aspecto da rotina de trabalho, do processo, do sistema atualmente utilizado… Para ele, isso é perda de tempo.

  • Não induzir perguntas:

É comum vermos analistas induzindo as respostas. Jamais faça isso pois depois quem irá se dar mal é você. O seu objetivo é entender o que ele precisa não reforçar o que você acha sobre alguma coisa. Induzir perguntas pode gerar retrabalho mais pra frente e atrasar o projeto. Culpa de quem

OBJETIVOS:

  • Minimizar resistências;
  • Envolver os entrevistados proporcionando maior grau de participação e discussão;
  • Obter melhor compreensão do trabalho a cargo de determinado indivíduo, ou mesmo de melhor compreensão de toda empresa;
  • Ouvir a opinião dos membros componentes da unidade ou da empresa em estudo.

 

 

Vantagens da Entrevista:

 

  • Permite que o entrevistado faça críticas e sugestões sobre seu trabalho ou sobre a empresa;
  • Permite ao entrevistado a exposição oral dos seus pontos de vista;
  • Possibilita ao entrevistador o conhecimento mais profundo da unidade ou cargo em análise;
  • Permite o alcance de informações que estão “guardadas” apenas na memória do entrevistado
  • Proporciona uma avaliação mais próxima sobre a atitude e capacidade de subchefes e funcionários;
  • Estimula o raciocínio de ambos: entrevistador e entrevistado;
  • Facilita o “desabafo”;

Finalização

 

A entrevista termina quando todas as dúvidas do técnico forem sanadas. Deixar sempre aberta a possibilidade de um retorno para tirar dúvidas ou fazer entrevistas complementares. Após o término de todas as sessões, o analista vai elaborar um relatório final co m data, hora, tópicos abordados, perguntas e respostas.

As anotações de comportamento e observações não serão inseridas no relatório. Também não serão inseridas as informações passadas “por baixo do pano”. Muitas vezes o usuário confia em você e libera informações (a maioria das vezes muito úteis) confidenciais. Essas não devem ser reportadas no relatório para não quebrar a confiança do usuário.

Conclusão:

 

Após analisarmos a modalidade de técnica de levantamento de dados, a entrevista, concluímos que os dados e informações são obtidos com perguntas, feitas diretamente aos usuários alocados nos postos de trabalho envolvidos na execução do processo em análise. Para que haja satisfação por parte do cliente é necessária uma comunicação compreensível e amigável entre o desenvolvedor e os usuários do software.

O desenvolvedor tem que ser um bom ouvinte, procurar manter uma conduta que expresse credibilidade e discrição, a fim de obter a confiança do entrevistado, evitando assim problemas que poderá prejudicar o andamento da entrevista.

Desse modo, concluímos que a entrevista é um instrumento muito importante para se obter êxito no projeto e implantação de um software em uma empresa.

 

 

 

 

Referências Bibliográficas:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: